terça-feira, 6 de maio de 2008

Art Crime


Faz parte do nosso mundo.
http://www.time.com/time/archive/collections/0,21428,c_graffiti,00.shtml/

11 comentários:

Anónimo disse...

A retratada nessa imagem, de arte não tem nada. É puro vandalismo.

Túlio disse...

" - A arte e o artista têm papel fundamental no mundo de hoje. A arte denuncia, educa, traz prazer e acalma um mundo moderno, cheio de stress e inconstâncias. Quanto mais caótico, poluído e sem memória o mundo, mais precisa de arte."


O resto é consigo anónimo.

Pedro Silva disse...

"retratada" que termo tão bonito. qualquer dia vem aí o ótimo ou a fração.
Nesse dia aposto que o sr anónimo vai ficar todo contente.

Miguel Saavedra disse...

Pedro, e o C, neste caso, seria para colocar onde?!

Pedro Silva disse...

OI?

Miguel Saavedra disse...

Qual é o problema da palavra retratada escrita pelo anónimo? onde é que entra um C ali?!

Anónimo disse...

é caso para dizer que fico maravilhada com a cambada de idiotas que por aqui aparecem......


tulio.....tas lá.....muitos jinhos para ti.........

"das Neves"(é pena não ter nenhum C no nome)...

Pedro Silva disse...

O que é giro na língua portuguesa é a sua complexidade...tenho pena que no dicionário de Português Brasil não venha "fracção"...aliás o étimo da palavra nem é "fractus"..mas eu compreendo perfeitamente, não se preocupe Miguel.

Quanto ao problema do emprego da palavra "retratada", não é nenhum. Apenas comentei que o sr anónimo vai ficar bastante contente quando entrar em vigor a nova reforma da (nossa ou só de alguns)grafia. Não me diga que se incomodou com isso? (isto foi uma pergunta rectórica...ups...agora é que não tem nenhum C...retórica)

Foi um prazer dissertar consigo...

Miguel Saavedra disse...

Bem Pedro e Anónimo, eu fico de fora dessa animosidade que parecem nutrir um pelo outro e, prezada Anónima, obrigado pelo insulto, que registo.
Pedro, vejo que o seu comentário parecia vir daquela animosidade e não tinha ligação com a grafia do Anónimo. Peço desculpa pelo mal entendido.

Filipa disse...

É inacreditável a falta de respeito que ultimamente se tem demonstrado neste blog, tanto pelo IPF como consequentemente pelos professores que dele fazem parte. A começar pelo questionário ridículo que anteriormente foi colocado por uma qualquer criatura 'anónima', e a acabar (espera-se) nestes últimos comentários que foram deixados.

Voltando um pouco atrás o IPF, tal como QUALQUER outra instituição de ensino, tem defeitos e qualidades. A sua credibilidade é medida, em grande parte, pela qualidade e nivel de conhecimento dos discentes que forma (por não querer ferir susceptibilidades, nem digo mais nada).

O curso acabou, de facto, mas seria de esperar que se mantivesse o respeito pela instituição e pelos professores que se esforçaram por nos ensinar (e sublinho que se esforçaram, pois nunca vi um professor do IPF recusar-se a auxiliar alguém que tivesse dúvidas ou precisasse de ajuda, pelo contrário, demonstraram sempre a maior disponibilidade e paciência, mesmo em relação a assuntos que não se encontravam directamente relacionados com as aulas em curso. Infelizmente tal não se verifica em todas as escolas logo, é de louvar). Sinceramente, só não aprendeu quem não quis; a oportunidade foi dada a todos, sem excepção.

É por tudo isto que toda esta situação me tem feito alguma confusão. É injusta e demonstra muita ingratidão.

Pedro, sem qualquer paternalismo (longe disso!), devias guardar esse tom sarcástico e 'gingão' para quando falas com os teus amigos.

Anónima pouco anónima, não percebi bem a que idiotas te referias.

Túlio, desculpa estar a usar este espaço que devia ser exclusivamente dedicado à discussão da tua fotografia. Boa sorte no estágio!

Miguel Saavedra disse...

Em relação ao espaço para comentar a fotografia do Túlio, peço desculpa se o usei para uma outra questão mas é que não estava realmente a perceber a introdução do Pedro, e eu quando não percebo pergunto. Mais uma vez peço desculpa ao Túlio, que tem o mérito de ter começado este blog (acredito, desculpem se me engano), ao Pedro a quem não quis inquietar, e friso que a minha presença assídua aqui é fruto apenas da imensa curiosidade e vontade de saber o que fazem vocês.

Filipa, muito obrigado pelo seu gesto e pelas palavras simpáticas. Para mais quando o momento é este. Raro neste país.

Só para evitar mal entendidos, eu, entre outras, também fui aluno do IPF, num lugar muito antigo e numa escola muito mais difícil, a todos os níveis, do que a que vocês conheceram. Depois estive e/ou conheci várias escolas de fotografia aqui e pelo mundo.
Como tudo na vida, alguns de vocês, uns agora outros com o distanciamento, um dia perceberão a complexidade das coisas que faz as escolas de fotografia serem muito mais semelhantes do que diferentes entre si (ainda que algumas apregoem o contrário).

E se não comento as fotografias e outras discussões que se travam aqui(ou a falta delas) é apenas por achar que agora não é o momento.
Eu gosto de vir aqui e continuarei a fazê-lo enquanto tiver vontade e for bem-vindo.

Uma primavera boa para todos.